História Corpo Clínico Funcionários Eventos Você Sabia? Serviços Convênios Doenças Links São José do Rio Preto Fale Conosco


 

   Urologia Geral

   Doenças da Próstata

   Calculose Urinária

   Disfunção Erétil

   Uroginecologia

   Infertilidade

   Infecções Urinária

   Oncologia

   DST

   Uroneurologia

   Uropediatria


 

   Diálise

   Insuficiência Renal Crônica

   Transplante Renal

 
 Malformação Renal
Má Rotação

O uma situação muito comum, descoberta em exames de rotina (ultra-som ou urografia), realizados por outro motivo. Geralmente sem complicações.

Má rotação do rim direito a urografia

Ectopia Renal

É uma situação mais rara. Onde o rim pode estar mais alto (intratorácico) ou mais baixo (ilíaco ou pélvico). Existe também a ectopia cruzada, onde os dois rins estão do mesmo lado. É importante conhecer-se estes detalhes, para não confundirmos com tumor.

Rim ectópico pélvico à direita

Anomalia de Forma

Lobulação

A lobulação do parênquima não é uma anomalia propriamente dita. É freqüente no feto e muito comum até a idade de 5 a 6 anos. Pode persistir no adulto.

Hipertrofia

A hipertrofia bilateral é excepcional. A unilateral é encontrada quando existe a perda ou mau funcionamento do outro rim. É a chamada hipertrofia compensatória ou vicariante.

Fusão

É a mais freqüente das anomalias de forma. Pode ser total ou parcial.

Parcial

Geralmente associada à ectopia cruzada, onde o pólo superior de um rim funde-se com o superior do outro – rim em sigmóide. Porém a fusão parcial mais freqüente é o rim em ferradura. É a anomalia em que os dois rins fundem-se através de seus pólos inferiores. Esta síntese pode ser parenquimatosa, ou seja, com tecido renal funcionante ou não. Como os ureteres têm um trajeto por sobre os rins é comum que obstruções ocorram, levando a formação de cálculos e infecção.

Completa

Esta anomalia é muito rara. É o chamado rim em bolo. A maior preocupação é que seja confundido com tumor.

Fusão renal completa

Anomalia de Número

Agenesia Bilateral

É incompatível com a vida. Normalmente associa-se a outras malformações graves.

 

Necrópsia de agenesia renal bilateral

Agenesia Unilateral

É mais freqüente. O rim único, quando normal, pode permanecer assintomático durante toda a vida. É importante lembrar-se que esta anomalia pode vir associada a alterações do trato genital. No sexo masculino, podemos encontrar ausência do testículo ou atrofia do epidídimo ou deferente. No sexo feminino, pode ocorrer a presença de ovário hipoplásico, útero e vagina ausentes.

Agenesia renal direita

Supranumerário

É excepcional a ocorrência de 3 ou mais rins.

Outros

Hipoplasia

Ela pode ser simples, unilateral ou bilateral. É muito rara e o que vemos é um rim em miniatura. Outras formas igualmente raras, como a oligomeganefrônica, onde temos rins pequenos, com diminuição do número dos nefrons. Evoluí sempre para insuficiência renal.
A apresentação mais comum é a hipoplasia renal segmentar, conhecida com a descrição de rim de Ask Upmark. Pode ser uni ou bilateral e acompanhada de hipertensão arterial , que é permanente e severa.

Hipoplasia renal

Displasia

É uma anomalia do desenvolvimento embrionário renal, geralmente unilateral. O diagnóstico diferencial deve ser feito com hipoplasia e com doença cística. Na prática, as vezes é muito difícil; pois, a atresia ureteral leva a formação do rim multicístico displásico (que é uma anomalia cística). Além, da forma completa, temos também a displasia segmentar que assume um papel importante devido à associação com refluxo vésico-ureteral (40-60% dos casos) e com infecção urinária.

Displasia renal

Doença Cística

O termo doença policística deve ser reservado a doenças císticas hereditárias, tipo recessivo ou dominante.

Doença Policística Infantil

É autossômica recessiva, revelando-se no período perinatal (fácies de Potter). Tem associado hipoplasia pulmonar e lesão hepática grave. Evolui geralmente para morte rápida.

Doença policística infantil

Doença Policística do Adulto

É mais freqüente, sendo autossômica dominante, têm igual incidência em ambos os sexos e aparece clinicamente na idade adulta.

Doença policística do adulto

Cisto Simples ou Cortical

Pouco freqüente na criança, desenvolve-se na cortical sem comunicação com as vias excretoras.

Cisto simples

Cisto Multilocular

É geralmente unilateral, circunscrito, formado de cavidades císticas. O diagnóstico diferencial deve ser feito com nefroblastoma cístico (tumor)

Cisto multilocular

Cisto Pielogênico

Não é verdadeiramente um cisto, mas um divertículo calicilar.

Cisto pielogênico

Cisto Parapiélico

Representa 14% dos cistos do adulto, sendo muito raro na infância, podendo comprimir a pélvis.

Rua Antonio de Godoy, 4473
Fone/Fax: 17 3519-3111
CEP: 15015-100
São José do Rio Preto - SP
E-mail: ued@terra.com.br
Urologia Eliseu Denadai © 2005 | Todos Direitos Reservados
Design e Desenvolvimento | MagicSite Internet Solutions